Organizando a montagem da Prusa Reprap

Quando comecei com a idéia de montar uma Prusa, me entusiasmei com a quantidade de informação e materiais alternativos que eu poderia garimpar e usar alternativas. Aí começam os problemas.

Acho que montar uma Reprap é um trabalho essencialmente artesanal e o resultado vai depender do seu envolvimento e carinho com o funcionamento e o material usados. Fazer as coisas voce mesmo é assim. Uma vez eu estava pintando e isolando uma gaiuta do barco pela segunda ou terceira vez pois os resultados estavam péssimos e meu sogro, o grande comandante (de ar e mar) P.C. Krepsky me disse:
– Isso é igual a videogame, tem que tentar, vai dar errado algumas vezes mas tem uma diferença. No final voce vai ter uma janela bem pintada e isolada por de 5 a 10 anos, quem está no videogame nao vai levar nada.

Abordagem 1: Tenha paciência, vá por partes.
Por ser open source e todo mundo adaptar, mostrar e propor suas alternativas, sua imaginação vai longe, voce nem montou a estrutura (não esquece das minhas peças, Muringa!) mas já está pensando em uma adaptação de um hotend ou eletronica alternativos. A lista de peças não para de aumentar (as possíveis incompatibilidades também) e voce vê que nem decidiu qual fonte vai usar.

Um exemplo bem simples: o extrusor que voce vai usar é compatível com o “hot end”? Mesmo que demore um mês pra chegar e montar o extrusor, talvez valha a pena esperar mais um mês para ter intimidade com as dimensões, funcionamento, força dos motores e então escolher e montar o cabeçote. Investa o tempo de espera melhorando a estrutura, as polias, as ligações com solda bem feita. Creio que seria um passo em direção a Qualidade (e ao autocontrole).

Se voce quer economizar em peças e principalmente na parte de eletronica, certifique-se de que voce tem conhecimento o bastante para faze-lo ou a frustração e os gastos podem ser grandes. Funcionar já é uma boa coisa, mas funcionar calibrado com uma precisão de menos de 1mm ou 0,5mm é outra.

Aconteceu comigo:
Gastei uma parte da manhã em São Cristóvão (que é um polo de equipamentos industriais aqui do Rio) comprando os parafusos e molas da estrutura mas não tinha estudado o projeto o bastante para ver que a lista de material (vitaminas) da extrusora pois estava em uma parte separada!
Resultado: vou ter que me despencar para voltar lá, e por mais que eu goste de frequentar aquela região e gazetear nas lojas de ferramentas e motores, sou PJ e ganho por hora e com isso vou perder talvez uma grana equivalente a todas as vitaminas/barras da estrutura.

Dica: Pesquise bastante sobre as peças antes de sair as compras
Lista de material/vitaminas da Wade´s Extruder;
Lista de material/vitaminas da Prusa (estrutura)

Dica: Veja o glossário do Muringa até se familiarizar
Glossário

No livro tem umas dicas legais. Incorporei duas:
– Comprar um paquímetro digital, rolou este (menos de 10USD/18BRL)
– Usar e um nível decente. Comprei esse aqui (menos de 11USD/20BRL também).
Deixe a sua estrutura bem certinha e firme para receber a parte cara e que necessita de bastante precisão!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s