Testes do hotend e filamentos do Roberto [RJ]

Um aspecto que não sou muito ‘fera’ mas que é muito legal da Reprap e da comunidade é a possibilidade de adaptação de qualquer item do projeto. Aqui vai uma experiência feita e relatada pelo do Roberto [RJ]:
Relato:
Pessoal nessas 3 fotos mostro nosso biquinho feito de válvula de retenção de gás em refrigeração.
Hotend com bico de refrigeração e tudo de freio

Hotend com bico de refrigeração e tubo de freio cerca de R$ 5,oo o metro!

Neste hotend tem uma pecinha que se mostrou importante que é a buchinha com parafuso que prende todo o conjunto aquecedor contra o bico roscado segurando toda a força que vem da extrusora.

Pode ser vista logo abaixo da PTFE no caninho de cobre.
Ver também que a fita teflon amarra todo o conjunto e depois de algumas horas parece que nada foi usado ainda.
Extruder montado na CNC do Roberto

Extruder montado na CNC do Roberto

Todos estes filamentos mostrados nas fotos foram feitos com este hotend. O Plastico branco é PLA cedido pelo Raphael Vinagre para testes e funde bem e tranquilo.(lado esquerdo das fotos).

Aproveitando a temperatura do PLA, troquei pela espiral TRANSPARENTE de caderno com 3mm que eu estava louco para experimentar. (veja na foto na parte da superior direita).
Aconteceu o seguinte, o PLA foi terminando e o transparente começou a aparecer na mesma temperatura acho que devia estar a 175º C.
Fios extrudados

Diversos fios extrudados. Vejam no teclado lado direito quase invisível e parecendo um fio de pesca.

Interessante é que ficou exatamente um tipo de fio de pesca apesar de menos flexível e mais interessante é que praticamente dobrou a espessura do fio, saiu com 0.1 mm e o PLA com 0.06  mm .
Como deixei passar da temperatura aconteceu que o transparente carbonizou dentro do bico entupindo tudo.
Então neste teste fica definido que a espiral de caderno apesar de fundir  bem não é apropriado para REPRAP pois carboniza.
Abraço
Roberto [RJ]
Anúncios

Extrusora dupla universal full por $141.oo

Vi o post sobre este projeto chamado QU-BD (Cubed) no Core 77. É uma extrusora muito bonita e aparentemente robusta. Vale a pena ver os dados do projeto que se baseou em outras opções do mercado (gringo) e que infelizmente para nós os materiais são de difícil acesso.

O Kikstarter.com é um site de startups onde voce coloca uma proposta de projeto e faz uma arrecadação entre interessados e financia o seu projeto. Esta extrusora já alcançou o mínimo e vai produzir. Comparando com os preços de ebay e ultimachine, achei a relação custo/benefício ótima, tem muitas combinações diferentes, mas só para ilustrar uma extrusora simples (um bico) mais o motor sai por USD 68.oo já com frete. Já a extrusora dupla com motores e tudo o mais sai por 141 USD. Acho isso bem em conta.

Vale a pena dar uma conferida no site todo e porque não assimilar as idéias legais, quem sabe fazemos algo parecido por aqui?

Posts completos:
http://www.kickstarter.com/projects/qu-bd/open-source-universal-3d-printer-extruder-dual-ext#faqs
http://www.core77.com/blog/kickstarter/the_qu-bd_open_source_universal_3d_printer_extruder_22664.asp

Montagem da Prusa: Log dos dias 7 e 8

Dei uma parada para me dedicar ao mestrado que pede mais atenção, mas consegui fazer algumas coisas nos últimos dois dias:

  • Mudei a localização do suporte da eletrônica do topo para a lateral esquerda traseira. Isso com certeza atrasa a montagem mas a minha razão foi simples: ia rolar um desquite litigioso se eu não parasse de fazer sujeira na casa e serrar os suportes faz bastante poeira.
    Placa de acrílico para suporte da eletrônica

    Aqui a placa atrapalha menos o acesso a extrusora e os eixos. Como vez ou outra tenho que virar a máquina toda de ponta cabeça para resolver coisas em baixo dela, aqui fica mais protegida.

    Placa de acrílico para suporte da RAMPS
    Nesta foto dá pra ver a localização melhor

  • Refiz as “thick sheets” logo para acabar com a fase de poeira também.
  • Tive que fazer vários parafusos que não estavam na lista de compras. Ainda bem que eu tive um momento de sabedoria e comprei duas barras roscadas de inox (3mm e 4mm), 200 porcas e arruelas mais um trava-rosca.

    Em breve eles vão virar parafusos

    Para comprar os parafusos tenho que ir a São Cristóvão, um pouco longe, fora de mão e não abre de noite. Com as barras, resolvi todos os problemas que eu tinha, é só usar um trava rosca que fica tudo certo.
  • Montei os “end stops”, também deu mais trabalho do que imaginava porque são pequenos e delicados. Na verdade dei mole, porque dois deles ficaram com as partes da placa viarada na direção de que vem o movimento, se algo der errado, podem ser esmagadas, tem um led e dois resistores na frente.

    Deu um trabalhão para montar mas acho que não ficou bom pois o sensor ficou na parte de trás, sendo assim, aconselho a primeiro ver aonde vai ficar o endstop e depois montar ele virado para o lugar certo. Parece besteira mas só depois que faz se vê…

    Detalhe em macro da fixação do endstop
    Aqui dá pra ver o erro, se é que podemos chamar assim. Neste caso é fácil, vou fixar ele na barra lisa oposta que o sensor vai ficar mais perto do carrinho. Nos outros já dá mais trabalho e muda o esquema, tamanho dos fios etc.

Ainda falta:

  • Colocar a eletrônica no lugar, mas nao queria usar parafusos, preferia aqueles suportes de nylon.
  • Passar os fios e conectar tudo
  • Esperar as correias chegarem, ir a São Paulo comprar ou achar um lugar no Rio que tenha. O Roberto Wazen se ofereceu pra ajudar e vai ver se as correias que ele tem servem.
  • Calibrar a impressora. Ai já é outra etapa.

Bico aquecedor: belo post do Alain.

No meio do Carnaval o Alain postou as melhorias que ele vem fazendo no bico aquecedor. Embora eu já tenha comprado algumas peças e vá ter que adaptar, acho que vai ser este o caminho que vou seguir. A única coisa que estou pensando ainda aqui é onde vou usinar as peças, claro que vou tentar em casa com o suporte de furadeira e a morsa… A matéria prima sei que posso comprar em São Cristóvão e não é muito caro.

http://reprapbr-ge.blogspot.com/2012/02/bico-do-extruder-gen4.html

Hot End do Alain Mouette

Hot End do Alain Mouette já montado.

Valeu Alain!

Escolhendo polias e correias: GT2 vs. T5

Post baseado/traduzido de: http://reprap.org/wiki/Choosing_Belts_and_Pulleys

O projeto original da Prusa usa correias T5 (padrão métrico) ou XL(imperial) visando baixar os custos e a facilidade de obtenção, no entanto esse conjunto talvez seja o componente mais importante e decisivo para uma boa impressão depois do extrusor e do “hot end”. Resumindo, o perfil T é trapezoidal e o T5 é de 5mm. Parece simples.

T ou GT? Eis a questão...

O que está errado?
Polias: Quando se trata de trabalhar com precisão, usar uma polia feita em uma reprap mesmo bem calibrada, tem um fator multiplicador de erro. O próprio Prusa depois de um tempo recomendou o uso de polias usinadas.

É, acho que essa polia pode melhorar...

Formatos: Os padrões T5 e XL são feitos para sincronização de movimentos e não para movimentos lineares, o que provoca um ricochete que mesmo imperceptível, vai influenciar na calibragem e exatidão dos movimentos. A coisa piora se voce usar correia e polia de padrões diferentes.

Como resolver o problema?
Segundo o wiki que por sua vez se baseou na experiencia da Mendel Max, a solução é usar polias para movimento linear, onde se encaixa o padrão GT2. Esta correia tem um dente arredondado que garante maior suavidade e precisão no encaixe da poliam principalmente na mudança de direção, onde o dente trapeizodal pode escorregar ate encontrar alguma resistência. Pelo depoimento há uma melhora imediata principalmente em pequenos detalhes e orifícios.

No entanto, nada do que falamos ou lemos é absoluto. Há discussões infindáveis e sem vencedores sobre ao invés de usar T5, usar T2.5 com uma polia ainda menor obtendo resultados ótimos com um preço bem inferior. Foi isso que o Henrique Muringa fez e demonstrou os resultados no blogue dele.

Como escolher?
Na minha opinião de leigo, o melhor é sempre usar o padrão ou algo já testado pela comunidade. Então vou pular as divagações sobre a quantidade de dentes em contato (6, 12 ou 18) com a polia e passar para o que usaram: 36 dentes. É isso ou a formula do Muringa é boa também e já testada!

Material: Plástico (policarbonato), parece que é condizente com o esforço e desgaste sofridos, e são bem mais em conta, mas dependendo de onde voce comprar, pode achar de aluminio por menos de USD 3,oo, mas prepare-se para mandar muitos emails.

CAD da polia

Difícil visualizar só com os números? Você pode baixar um modelo CAD para tirar a dúvida e ver se encaixa na sua Prusa gambiarrada!

Gostaria muito de achar fornecedores nacionais. Alguém indica? A sugestão será muito bem vinda no blog e na comunidade Reprap. 

O Muringa comprou polias de alumínio por um preço muito, muito bom! Ele fez com o padrão T mas com um passo menor. Tentei comprar também pelo Alibaba.com mas não consegui taxas de frete boas, diz ele que conseguiu.

Referências:
Guia da Misumi, fornecedor de equipamentos de automação
Guia da SPDSI, outro fornecedor.
http://www.botoufortune.com.cn/ que foi onde o Muringa comprou as dele.

Escolha dos motores

Não é pra um carro novo, é pra nossa Prusa mesmo. Estou tendo muitas dúvidas sobre qual motor comprar, os preços variam muito e as especificações também. Aí quem quer montar a sua Reprap sem um maior conhecimento de eletrônica (como eu) tem que estudar um pouco.

Um desenho do NEMA 17

Olhando assim, parece simples...

De início, NEMA 17, é só o tamanho, de 1.7 polegadas. Isso foi definido para uma padronização maior e é ótimo, mas os infinitos tipos e configurações de motores continuam existindo debaixo dessa carcaça.

Leia o básico do básico sobre os motores de passo.
Veja aqui na wiki, as recomendações “oficiais”.

Eu sei que bate aquela ansiedade porque voce sabe que vai demorar pra chegar e dá vontade de montar tudo logo e imprimir. Mas de qualquer jeito, há um longo caminho de “dor” e aprendizado de eletrônica pela frente.

Só com a ajuda da comunidade...

Seria mais fácil escolher entre gasolina ou alcool, 1.6 ou 1.0. Aqui o bicho pega mais!

O que é melhor? Maior corrente e menor resistência ou menor corrente e um torque mais modesto? Difícil saber, mas em breve eu vou organizar e postar uma conversa via email que tive com o Alain Mouette da Reprapbr.

Fonte 12V

Mais uma vez, não inventei nada, só li o tutorial wiki da Reprap, fiquei com dúvida e procurei em outros blogs. Primeiro eu acho o máximo reaproveitar materiais e admiro quem sabe algo de eletrônica. Porém eu não tinha mais nenhuma fonte ATX de bobeira nem meus amigos, e se for para comprar eu prefiro comprar alguma coisa mais específica do que improvisar de cara, pois tem que seguir alguns passos, combinar um monte de fios e não quero correr riscos de fazer alguma coisa mal feita e perder algum componente por causa de 3V a mais ou um curto circuito bobo…

Fonte que eu comprei. 30A é mais indicado por causa da mesa aquecida.

Fonte que eu comprei. 30A é mais indicado por causa da mesa aquecida.

Nas notas do Adrian, tem uma dica legal pra uma fonte já regulada:
http://reprap.org/wiki/Adrians_Prusa_Notes#Power_Supply_2 

Resumindo, alguma coisa como esta que eu comprei vendo em outro blog ou a que o Prusa indicou, não sei a diferença mas acho que são basicamente a mesma coisa. Pelo o que andei lendo, ainda não testei e não pretendo ter problemas, é que o recomendado mesmo é ter uma fonte de 12V, 30A, 360W.

Quem montava PC quando adolescente sabe que nunca é bom ficar perto do limite, força demais, aquece mais e aumenta o risco de queimar ou ficar desligando. Então, trabalhe com folga, isso não é uma linha de montagem onde cada centavo num equipamento irá te colocar na frente do concorrente.

Comparando os preços com as ATX não fazia grande diferença para mim. Se eu perder 1  ou 2 horas de trabalho para sair e comprar, já vale a pena pega pela internet… Essa me saiu R$ 60,oo já com a entrega.

Organizando a montagem da Prusa Reprap

Quando comecei com a idéia de montar uma Prusa, me entusiasmei com a quantidade de informação e materiais alternativos que eu poderia garimpar e usar alternativas. Aí começam os problemas.

Acho que montar uma Reprap é um trabalho essencialmente artesanal e o resultado vai depender do seu envolvimento e carinho com o funcionamento e o material usados. Fazer as coisas voce mesmo é assim. Uma vez eu estava pintando e isolando uma gaiuta do barco pela segunda ou terceira vez pois os resultados estavam péssimos e meu sogro, o grande comandante (de ar e mar) P.C. Krepsky me disse:
– Isso é igual a videogame, tem que tentar, vai dar errado algumas vezes mas tem uma diferença. No final voce vai ter uma janela bem pintada e isolada por de 5 a 10 anos, quem está no videogame nao vai levar nada.

Abordagem 1: Tenha paciência, vá por partes.
Por ser open source e todo mundo adaptar, mostrar e propor suas alternativas, sua imaginação vai longe, voce nem montou a estrutura (não esquece das minhas peças, Muringa!) mas já está pensando em uma adaptação de um hotend ou eletronica alternativos. A lista de peças não para de aumentar (as possíveis incompatibilidades também) e voce vê que nem decidiu qual fonte vai usar.

Um exemplo bem simples: o extrusor que voce vai usar é compatível com o “hot end”? Mesmo que demore um mês pra chegar e montar o extrusor, talvez valha a pena esperar mais um mês para ter intimidade com as dimensões, funcionamento, força dos motores e então escolher e montar o cabeçote. Investa o tempo de espera melhorando a estrutura, as polias, as ligações com solda bem feita. Creio que seria um passo em direção a Qualidade (e ao autocontrole).

Se voce quer economizar em peças e principalmente na parte de eletronica, certifique-se de que voce tem conhecimento o bastante para faze-lo ou a frustração e os gastos podem ser grandes. Funcionar já é uma boa coisa, mas funcionar calibrado com uma precisão de menos de 1mm ou 0,5mm é outra.

Aconteceu comigo:
Gastei uma parte da manhã em São Cristóvão (que é um polo de equipamentos industriais aqui do Rio) comprando os parafusos e molas da estrutura mas não tinha estudado o projeto o bastante para ver que a lista de material (vitaminas) da extrusora pois estava em uma parte separada!
Resultado: vou ter que me despencar para voltar lá, e por mais que eu goste de frequentar aquela região e gazetear nas lojas de ferramentas e motores, sou PJ e ganho por hora e com isso vou perder talvez uma grana equivalente a todas as vitaminas/barras da estrutura.

Dica: Pesquise bastante sobre as peças antes de sair as compras
Lista de material/vitaminas da Wade´s Extruder;
Lista de material/vitaminas da Prusa (estrutura)

Dica: Veja o glossário do Muringa até se familiarizar
Glossário

No livro tem umas dicas legais. Incorporei duas:
– Comprar um paquímetro digital, rolou este (menos de 10USD/18BRL)
– Usar e um nível decente. Comprei esse aqui (menos de 11USD/20BRL também).
Deixe a sua estrutura bem certinha e firme para receber a parte cara e que necessita de bastante precisão!

Riprap em 2012

Depois de tanto tempo querendo montar alguma coisa um pouco mais complexa que meus projetos de marcenaria, finalmente me decidi.
Eu ja vinha tocando outros projetos para aumentar o meu ‘hall’ de coisas DIY mas tudo esbarrava em limitações de espaço porque o Rio esta se tornando uma cidade apertada tipo Tóquio mas com o nível de conforto chines e preços parisienses.
Isso me levou a iniciar uma construção (meio DIY) em Lumiar, a 180Km do Rio para me divertir nas engenhocas e nas ferramentas mais pesadas e barulhentas nos fins de semana. Tem o barco também, mas mas aí é igual Lumiar, só de 15 em 15 dias o que não dá pro gasto.
Aí fazendo um trabalho com o Denis de cenografia entrei em contato com o mundo maravilhoso das CNC e decidi que queria montar uma para mim.
Vi alguns projetos e constatei que os insumos para uma boa Router seriam inviáveis aqui no Rio, aí resolvi simplificar e investir numa Prusa Reprap. Creio que em curto prazo vai me ajudar a incrementar o mestrado na UNIRIO em IHC com enfase em usabilidade e acessibilidade que vou começar agora em março. Pois já tenho idéias para umas interfaces com braile além de umas coisas mais sofisticadas com o Arduino que eu nao sabia como encaixotar ou fazer a parte de botões etc.
Vamos ver no que vai dar.